Belle Epoque 1985

Uma obra-prima de elegância voluptuosa,
como um diamante,
requinte exótico.

Belle Epoque 1985

Notas sobre a confecção do vinho

Uma vinha excepcional e um estilo inabalável.

A arte da safra de acordo com a Perrier-Jouët: elegância e requinte.

 

Pierre-Nicolas Perrier casou-se com Adèle Jouët em 1811 em Epernay, onde fixaram residência. Desde então, a casa se recusou a fazer concessões, chegando até a abandonar completamente a produção em anos de má colheita. Alguns vinhos de anos notáveis foram selecionados e confiados ao silêncio das adegas. E ainda que cada uma dessas safras tenha um caráter distinto, todas, sem exceção, ilustram a excelência dos vinhedos Perrier-Jouët. 65 hectares, com classificação 99,2% na escala qualitativa dos vinhos, ostentam os melhores chardonnays da Côte des Blancs. Vinhedos excepcionais, situados no "triângulo mágico de Champagne", no centro da encosta, plantados com face sul-sudeste. Uma localização excepcional que concede excelente maturação aos Chardonnays, com aromas generosos de flores brancas e um buquê persistente.

O cuvée Belle Epoque é a expressão autêntica de sua qualidade. Seu frescor, elegância e toques florais sutis ecoam o espiral de anêmonas brancas na garrafa, projetada por Emile Gallé em 1902.

As vinhas foram passadas de geração em geração, enriquecidas pela experiência da casa. Hervé Deschamps, o 7º chef de cave da Maison  Perrier-Jouët, cria e lapida cada cuvée na antiga tradição com extrema precisão, testando cada vinho e compondo suas criações no processo para destacar a elegância e requinte do estilo floral, elegante e trabalhado à perfeição que é a marca da casa.

Em 1985, um inverno rigoroso assolou as vinhas, mas o verão e o outono esplêndidos, além de uma boa dose de paciência, resgataram uma colheita ao mesmo tempo modesta e soberba. Chardonnays frescos e elegantes, Pinots Noirs maleáveis e generosos e Pinots Meuniers charmosos e frutados foram combinados em um vinho excepcionalmente autêntico, no mais puro estilo Belle Epoque, combinando os Grands Crus típicos do cuvée: 50% Chardonnays (Cramant, Avize, le Mesnil/Oger, Vertus e Chouilly); 45% Pinots Noirs (Aÿ, Ambonnay, Bouzy, Mailly, Verzenay, Verzy, e Chigny les Roses); 5% Pinot Meunier (Dizy, Hautvillers, Damery, Venteuil e Vincelles).

Um magnífico estojo de madeira, gravado com a icônica anêmona e o ano da safra, é a moldura perfeita para esse vinho raro.

Explore os segredos de duzentos anos de sabedoria da Perrier-Jouët

Características

Uma obra-prima de elegância voluptuosa.

Todo o requinte e a elegância do estilo Perrier-Jouët, reforçados por anos de amadurecimento na adega.

 

Pela primeira vez desde sua fundação em 1811, a casa Perrier-Jouët abriu suas portas para revelar algumas safras raras, anteriormente mantidas sob um véu de sigilo em suas adegas. Hervé Deschamps selecionou algumas garrafas de cuvée Belle Époque que são agora quase impossíveis de encontrar: 1982, 1985 e 1996. Eles não perderam nada de sua autenticidade ao longo dos anos e são um testemunho de um estilo único e inabalável, conhecido pela sua elegância floral e seus aromas trabalhados à perfeição.

"Revelar esses vinhos significa compartilhar com outras pessoas o que senti ao criá-los. Esses vinhos contam uma rica história em emoção humana".

Hervé Deschamps, chef de cave

APARÊNCIA:

Essa safra foi agraciada com um dourado delicado, adornado com um fio de bolhas finas.

AROMA:

O aroma revela a elegância do vinho e riquezas aromáticas profundas. Aromas de folhas de chá doce, tabaco suave e brioche, misturados à fragrância de frutas cozidas e secas, limões cristalizados e gengibre. Esses aromas abrem caminho para pão com especiarias, torta de maçã, mel e caramelo, culminando em um defumado crescente.

PALADAR:

Um modelo de equilíbrio e harmonia que revela frescor e  preenchimento sedoso na  boca, tão generoso quanto voluptuoso, antes de atingir o equilíbrio perfeito em seu final persistênte.

"Uma joia excepcional: a lapidação de uma pedra preciosa. Uma criação primorosa que desafia o tempo".

Hervé Deschamps, chefe de cave

Descubra as outras safras raras Perrier-Jouët Belle Epoque 1982 e 1996

Beauting: Harmonização do
Perrier-Jouët

Requinte redondo.

Uma obra-prima que revela sua sutileza quando acompanhadas por sabores fortes.

Em 1902, Emile Gallé desenhou um delicado espiral  de anêmonas para ser gravado nos prestigiados cuvées da Perrier-Jouët. A Casa tem se mantido fiel a essa herança artística desde então. A mesma tradição deu origem ao Beauting: uma visão da gastronomia que adota o Belo e o Bom, transformando cada prato em uma obra de arte, em perfeita harmonia com cada cuvée. Uma experiência sensorial única e um banquete para os olhos e o paladar.

O equilíbrio perfeito entre elegância e voluptuosidade que caracteriza esta rara safra expressa suas múltiplas qualidades se complementado com pães doces preparados com cogumelos. Um filé chateaubriand com molho périgord, acompanhado por purê de batatas trufado, revelará sua harmonia ao máximo.

Explore a beleza do Perrier-Jouët Belle Epoque 1982 e 1996

INTERESSADO EM OUTRA SAFRA?

Descubra nossas safras